Fique por dentro das regras de acentuação da nova ortografia

6 minutos para ler

O domínio da gramática é um dos pontos mais importantes para uma boa redação. Erros simples de português podem tirar pontos preciosos, que podem impactar diretamente na sua aprovação no Enem e nos vestibulares. De todas as partes gramaticais, as que costumam provocar mais dúvidas são as regras de acentuação da nova ortografia.

O novo acordo ortográfico entrou em vigor em 2008, passando a ser obrigatório a partir de 2012, como uma forma de uniformizar a escrita nos países de língua portuguesa. Nesse ano, vestibulares, concursos, serviços públicos e escolas de todo o país passaram a adotar novas regras para a escrita de inúmeras palavras, inclusive, referentes ao uso dos acentos gráficos.

Desde então, muita gente ficou confusa. Para ajudar você a entender de vez essa questão, separamos as principais regras de acentuação da nova ortografia. Continue lendo e aprenda como são acentuadas as palavras para não errar mais nas provas!

Palavras proparoxítonas

A acentuação gráfica das palavras é determinada pela sílaba tônica, ou seja, aquela que tem o som mais forte ao ser pronunciada. Assim:

  • as oxítonas são aquelas cuja última sílaba é a tônica;
  • as paroxítonas têm a penúltima sílaba tônica;
  • as proparoxítonas têm a antepenúltima sílaba tônica.

No caso das proparoxítonas, a regra continua a mesma: todas são acentuadas, sem exceção. Portanto, devem receber acento agudo ou circunflexo palavras como:

  • dúvida;
  • estômago;
  • alegórico;
  • côncavo;
  • catálogo;
  • desânimo.

A única mudança é a opção de usarmos tanto o acento agudo quanto o circunflexo nas palavras em que o som da sílaba tônica é fechado. Ou seja, nos exemplos anteriores, podemos escrever estômago ou estómago, pois a sonoridade não é alterada. No entanto, catálogo e alegórico não podem ser escritas de modo diferente, uma vez que mudaria a pronúncia.

No Brasil, é comum utilizarmos as formas com acento circunflexo, enquanto em Portugal se usa com o acento agudo. Por mais que o uso comum dos acentos não tenha mudado, é importante conhecer essa nova regra para que não seja interpretado como erro caso apareça no enunciado de alguma questão do vestibular.

Palavras oxítonas

De modo geral, a acentuação das palavras oxítonas também não mudou. O mesmo se estende aos monossílabos tônicos, que podem ser considerados oxítonos e continuam sendo acentuados. Assim, continuam valendo as regras a seguir.

São acentuadas as palavras terminadas em A, E e O (singular e plural), e em M, N ou NS. É o caso de:

  • avó;
  • jatobá;
  • café;
  • contém;
  • parabéns.

As terminações com vogais I e U só devem ser acentuadas se representarem um hiato, ou seja, se estiverem sozinhas nas sílabas, como:

  • tatuí;
  • jaú;
  • jabuti;
  • jaburu.

As palavras terminadas em ditongos abertos ÉI(S), ÉU(S) e ÓI(S) ainda continuam acentuadas. É importante lembrar que eles não devem ser confundidos com os ditongos em palavras paroxítonas, que serão vistos adiante e não são acentuados. Além disso, em algumas delas, o acento só aparece no plural. Exemplos:

  • papéis (papel);
  • chapéus (chapéu);
  • girassóis (girassol).

Palavras paroxítonas

O grupo das paroxítonas é o que provoca mais confusão nas pessoas, uma vez que também sofreu mais alterações nas regras de acentuação da nova ortografia. De qualquer modo, continuam sendo acentuadas as palavras terminadas em L, N, R, X, I(S), U(S), PS, Ã(S), ÃO(S) e UM(UNS). Como exemplos, temos:

  • afável (afáveis);
  • bônus;
  • órgão (órgãos);
  • tórax;
  • álbum (álbuns).

Também continuam sendo acentuadas as paroxítonas terminadas em ditongo oral, inclusive no plural. É o caso de:

  • hóquei;
  • túnel (túneis);
  • subúrbio (subúrbios).

Por outro lado, não devem mais receber o acento as paroxítonas terminadas em ditongo aberto, como no caso de:

  • assembleia;
  • plateia;
  • joia;
  • ideia.

Outras que perderam o acento gráfico depois da reforma foram as paroxítonas com I e U sozinhos na sílaba formando um hiato. Exemplos:

  • feiura;
  • sauva;
  • bocaiuva;

Acento diferencial

Antes da nova ortografia, algumas palavras levavam acento diferencial. A acentuação era usada para destacar palavras com a mesma grafia, mas com pronúncia e significados diferentes para que elas não fossem confundidas.

Essa regra foi alterada, uma vez que agora não é mais usado na maioria dos casos, como em para (preposição) e pára (verbo). As exceções mais relevantes é para as formas do verbo pôde (pretérito) e pode (presente); e em pôr (verbo) e por (preposição). Já o acento na palavra fôrma/forma é facultativo.

Palavras compostas

A composição de palavras e o uso do hífen (-) são algumas das mudanças mais representativas da nova ortografia, alterando totalmente a maneira como muitos vocábulos são escritos. Só para lembrar, as palavras compostas são aquelas formadas pela junção de outras.

Algumas palavras que sofreram mudanças antes eram escritas com hífen e passaram a não ter ou vice-versa. No caso específico da acentuação gráfica, destacamos aquelas que perderam o acento depois da reforma, como é o caso de:

  • para-brisa (pára-brisa);
  • para-raio (pára-raio);
  • paraquedas (pára-quedas).

Dupla vogal

As palavras com dupla vogal perderam o acento nas regras de acentuação da nova ortografia. Entre elas, estão as formas da primeira pessoa do singular no modo indicativo de verbos terminados em OAR, como magoar, abençoar e enjoar.

Também é o caso das conjugações da terceira pessoa do plural dos verbos ver e seus derivados (crer, rever, etc). Exemplos:

  • eu abençoo;
  • eu magoo;
  • eu enjoo;
  • eles creem;
  • eles veem.

Bônus: trema

O trema (¨) — assim como o til (~) — não é considerado um acento, mas um sinal gráfico, servindo para alterar a pronúncia das sílabas (nem sempre a tônica). Ainda assim, é necessário falarmos sobre ele, pois foi uma das mudanças mais comentadas a respeito da reforma ortográfica. Essa sinalização foi excluída em todas as palavras, como em linguiça e enxágue, mesmo estando em desuso há algum tempo.

Apesar de ser muito importante conhecer as regras de acentuação da nova ortografia, pode ser muito difícil memorizá-las. Por isso, o ideal é ler muito para se habituar à nova escrita, prestando atenção nas palavras que sofreram mudanças. Além disso, é fundamental treinar bastante a redação, já utilizando essas palavras.

Gostou de conhecer as regras de acentuação da nova ortografia? Quer conferir mais artigos que podem ajudar você a escrever melhor? Veja quais são os 5 erros de redação que você nunca pode cometer!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário