Redação Nota 1000
-->
Postado: 18 de janeiro de 2019|Nenhum Comentário

A Educação não tem como ficar fora do processo de digitalização universal da informação, da comunicação e dos serviços

O material digital é uma realidade e merece atenção especial. Transmitir e reproduzir informação, como no passado, não é mais suficiente. Os alunos que estão nos bancos escolares não conseguem imaginar o mundo sem smartphones, tablets, e-mails, jogos virtuais e apps, com as mais diferentes funções. A internet levou à humanidade a funcionar no espaço cibernético, segundo o francês Paul Pierre Lévy, filósofo das mídias. Transações bancárias, compras de supermercado, delivery de alimentos são atividades que passaram a ser realizadas pela internet.  Esse é um processo sem volta– e a Educação faz parte dele.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 64,7% dos brasileiros acima de 10 anos está conectado à internet. No Sudeste, o índice sobre para 72,3%. Outra pesquisa, realizada pela Fundação Getulio Vargas, aponta que o Brasil tem um smartphone para cada habitante.

VANTAGENS

O material didático digital ajuda a despertar o interesse do aluno. Para quem nasceu na efervescência tecnológica, o melhor é aprender na linguagem que já domina. Fora isso, trata-se de uma forte ferramenta de apoio ao ensino, mais lúdico, fácil e desafiador. Por exemplo, ele permite explicar física térmica e hidrostática mostrando simulações de emissão de gás pelo escape do carro em uma apresentação multimídia. Une teoria e realidade em poucos cliques.  

OS DESAFIOS

A escolha do material vai depender da realidade sócio-cultural da escola, dos alunos e dos pais. Antes de decidir o que será usado, a escola precisa organizar um departamento de Tecnologia da Informação (TI), que irá ajudar na escolha das plataforma, além de dar suporte aos alunos e professores.

Cabe a esses especialistas, a manutenção do sistema, que exige constantes renovações, devido à velocidade das mudanças tecnológicas. O corpo docente terá de ser treinado.  O currículo repensado para que o recurso digital seja efetivo e não apenas uma isca para fisgar pais na hora da matrícula.

Quanto ao custo do material, existe a possibilidade do uso de material gratuito, comprado ou ainda de desenvolver conteúdo digital próprio. Hoje caminha-se de um  modelo de comunicação de uma via – do professor para os alunos – para o de dupla mão – onde todos participam. A digitalização das coisas, fez com que o conhecimento fosse democratizado e compartilhado numa corrente sem fim. O material digital exige uma participação ativa do aluno.

DEMOCRATIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO

O processo educacional vem sofrendo influência da facilidade e rapidez no acesso à informação. As características interativas e colaborativas das redes sociais diminuíram as fronteiras sociais e facilitaram a disseminação do conhecimento e da cultura humana. Por outro lado, alteraram os conceitos de sala de aula, de tempo e espaço da escola. Construir o conhecimento é realmente uma estrada de muitas mãos.

DICAS PARA A IMPLANTAÇÃO

Aqui vão alguns lembretes que auxiliam na implantação do material digital:

• Se o modelo escolhido for o BYOD (Bring Your Own Device), onde cada aluno traz seu equipamento, a rede Wi-fi é fundamental.

• Deve haver segurança digital que bloqueie, por exemplo, sites indesejados

• Há a necessidade de uma estrutura maior de acompanhamento e manutenção do sistema tecnológico

• Toda equipe pedagógica deve conhecer o material e os ambientes usados

• A dinâmica de trabalho com o material digital altera o trabalho educacional em todas as disciplinas, gera a cada dia mais links e cria a possibilidade de expansão exponencial dos conteúdos didáticos

• Os alunos se apropriam rapidamente das novas tecnologias e geram demandas específicas, que impactam inclusive no tempo e no atendimento dos professores

• Os pais e responsáveis tem de conhecer o trabalho e devem ser envolvidos no processo

• Tenha certeza que avaliações qualitativas do processo educacional serão muito mais fáceis usando o material digital assim como as quantitativas, mais objetivas e frequentes



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *