Descubra agora mesmo o que evitar na redação do Enem

4 minutos para ler

A prova do Enem é longa, bem elaborada e exige muita concentração, tanto na parte objetiva quanto na escrita. Muitos candidatos, no entanto, ainda repetem erros comuns na redação, prejudicando bastante o resultado final. O fato é que saber o que evitar na redação do Enem pode ser o fator decisivo para uma nota 1000.

Não se trata de adotar fórmulas prontas, mas de ter uma estratégia inteligente para escrever um texto coeso, dentro da norma padrão e do tema proposto. Diante disso, separamos algumas dicas para você entender o que evitar na redação do Enem. Confira!

Fugir do tema proposto

Esse é o principal motivo de eliminação na redação do Enem. Fugir da proposta de redação é o erro mais perigoso e mais fácil de ser cometido. Pode acontecer, por exemplo, de você se atentar apenas a uma parte do que é proposto, não abordando o assunto adequadamente.

Podemos citar a prova de 2016, cujo tema era intolerância religiosa, como um exemplo. Caso o candidato abordasse apenas a intolerância de forma generalizada, incorreria no erro de fuga da proposta. 

Isso também pode ser dito do tema de 2018, que falava sobre o uso de dados para manipular o comportamento dos usuários na internet, mas foi muito relacionado à disseminação de fake news. É possível fugir do assunto tanto pela generalização quanto pela redução do tema proposto, então, atenção!

Repetir o enunciado 

Outro erro comum e que muitas vezes passa despercebido é a repetição do enunciado da questão no texto. A proposta de redação traz uma contextualização importante, com informações e dados que ajudam o candidato a entender qual é a delimitação do tema e o que deve ser abordado.

Assim, o que está descrito na proposta de redação não deve ser usado no texto, seja de forma direta, seja pela repetição de ideias. A banca quer conferir a sua capacidade de argumentação e o seu conhecimento de mundo, não sendo necessário demonstrar que você conhece uma situação que já foi apresentada.

Usar clichês e coloquialismo

A não ser que seja mencionado no enunciado da proposta, toda redação de vestibular ou concurso deve ser escrita segundo a norma culta da língua portuguesa. Não seria diferente com o Enem, uma vez que a sua habilidade de usar corretamente as palavras também será avaliada.

Os coloquialismos — como marcas de oralidade e gírias — não devem ser usados. Também não devem ser empregados clichês, ou seja, aquelas frases prontas que se apegam ao senso comum, sem uma confirmação factual, como no caso de “a esperança é a última que morre” ou “todos devem buscar um futuro melhor para seus filhos”. 

Cuidado: adotar a norma culta da língua não quer dizer que você deva fazer um texto rebuscado, cheio de palavras difíceis. O melhor é se ater à correção gramatical e textual, mas de modo simples e objetivo.

Não apresentar soluções

Outro erro grave é não apresentar uma solução para o enunciado da questão. Ela pode ser a conclusão do seu texto, mostrando aquilo que deveria ser feito para o caso específico que foi apresentado no conteúdo — ainda que de forma hipotética ou utópica.

Os avaliadores da prova querem conhecer não apenas a sua capacidade de uso da língua e argumentação, mas a sua habilidade de pensar de forma crítica e de resolver problemas.

Agora que você sabe o que evitar na redação do Enem, lembramos a importância de treinar bastante a sua escrita, inclusive com todas as dicas listadas aqui. Para tanto, faz toda a diferença contar com o apoio de uma plataforma completa para a correção da redação. Por meio de feedbacks, você pode melhorar bastante o seu desempenho na prova.

Gostou do artigo? Quer saber o que fazer para aumentar a sua nota? Então veja como treinar para a redação do Enem!

Posts relacionados

Deixe um comentário