Redação Nota 1000
-->
Postado: 2 de outubro de 2018|Nenhum Comentário

Sempre que se aproxima o final do ano os gestores escolares precisam se planejar para fazer cálculos, elaborar e divulgar com antecedência o reajuste das mensalidades da escola aos pais e à comunidade.

Com esse cálculo vem a preocupação sobre a retenção dos estudantes e também da aquisição de novos, já que o acerto da mensalidade segue principalmente a inflação, gastos da escola, número de alunos, lucro desejado,  entre outros custos, que para alguns pais, pode ser bem difícil de entender.

Diante desse cenário, a Redação Nota 1000, traz para você algumas dicas sobre o que fazer para que sua escola estabeleça esse reajuste de forma tranquila mantendo o máximo de alunos possíveis.

 

Elaborando o preço do reajuste das mensalidades da escola

elaborando o preço do reajuste das mensalidades escolares

 

Além de considerar os gastos da escola mencionados anteriormente, é preciso pensar no plano de expansão da instituição, se será oferecido bolsas de estudo no ano seguinte, se há algum gasto que pode ser cortado para não impactar muito o reajuste, se haverá necessidade de contratar algum serviço novo para a escola, como uma tecnologia educacional, por exemplo.

Enfim, todas essas decisões são baseadas em números, mas acima de tudo sob expectativas, já que nem tudo é completamente mensurável. Portanto, o principal critério para se estabelecer o reajuste precisa ser sempre baseado no que está na lei.

 

“§ 5º O valor total, anual ou semestral, apurado na forma dos parágrafos precedentes terá vigência por um ano e será dividido em doze ou seis parcelas mensais iguais, facultada a apresentação de planos de pagamento alternativos, desde que não excedam ao valor total anual ou semestral (…) – Lei nº 9.870, de 23 de novembro 1999.”

 

O parcelamento da mensalidade deve corresponder ao valor que o aluno pagará pelo período do ano letivo completo. Comumente é dividido em 13x, que corresponde a matrícula + mensalidades. No entanto, a instituição pode pensar em outras formas para flexibilizar o parcelamento, considerando a previsão de fluxo de caixa do ano seguinte.

 

Fazendo uma estimativa de quantas vagas serão abertas aos novos alunos

 

O número de vagas que serão abertas depende muito de quantas rematrículas serão feitas, por isso, sugerimos que se faça uma pesquisa de satisfação com os pais logo no início do segundo semestre para estimar uma média de evasão escolar.

Esse é um passo muito importante no planejamento, por meio da pesquisa é possível entender quais os pontos fortes e fracos da instituição para se prevenir sobre a insatisfação dos pais, dos novos alunos e melhorar o atendimento atual.

Como toda pesquisa, existe uma margem de erro: pode haver pais que mesmo assinalando interesse em fazer a rematrícula, não o façam por algum motivo. Por isso, para determinar o número de vagas com segurança é preciso ter muita cautela, pois isso vai afetar várias áreas da escola, dentre elas planejamento de divulgação da equipe de marketing e consequentemente o orçamento escolar.

Além dos problemas financeiros que uma má organização pode gerar, há outras implicações, como manchar a imagem da instituição, por exemplo, devido a falta de organização.

 

Organizando o processo de rematrícula 

 

As rematrículas precisam ter prioridade na divulgação, desse modo, o prazo ideal para comunicar os pais deve ser sempre 45 dias a partir do momento em que se decidiu o valor, assim eles terão tempo suficiente para organizar documentos, agendar um horário para ir à escola assinar o novo contrato, tirar dúvidas e afins.

Após esse período, pode-se iniciar a divulgação à comunidade de novos alunos, assim não se corre o risco de não ter espaço para rematrículas.

O atendimento prestado aos pais precisa ser feito com proximidade o ano inteiro, mas no período de rematrículas é preciso uma atenção ainda maior, pois nesse momento é que eles possuem mais dúvidas.

 

Exaltando os diferenciais da sua instituição

 

A melhor forma de se manter alunos sem sombra de dúvidas é investindo na qualidade do serviço prestado ao aluno. Ainda mais após a chegada da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) divulgada pelo MEC.

A promessa básica dessa mudança é nivelar o ensino no Brasil, de modo que o diferencial que a escola tem a oferecer precisará estar muito mais evidente do que antes aos pais, para se reter ou conquistar novos alunos.

Investir em novas metodologias de ensino que se enquadrem na BNCC é a melhor opção para sua escola se destacar.

Mapear os pontos fortes e fracos dos alunos atuais em cada disciplina oferecida na sua instituição é o primeiro passo para elaborar uma estratégia efetiva sobre a qualidade.

Para entender quais os pontos de melhoria em Português, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, na sua escola, consulte a classificação dos seus alunos na Redação do Enem 2017.

 

Com esse relatório você poderá:

 

  • Elaborar um plano de ação pedagógico altamente efetivo a fim de reduzir as fraquezas da sua escola;
  • Descobrir quais as melhores competências desenvolvidas no seu colégio;
  • Elaborar um Projeto Político Pedagógico (PPP) embasado em dados estratégicos;
  • Aumentar o desempenho dos seus alunos em Redação.

 

Basta clicar aqui para receber.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *