Como escolher o curso de graduação sem errar? Confira este guia!

13 minutos para ler

Uma das maiores dúvidas de quem finalizou o ensino médio é saber como escolher o curso de graduação. Ter ciência do que é necessário considerar para fazer esta escolha é fundamental para não ter frustrações no futuro.

Chegar à resposta o quanto antes é muito importante, afinal, após esta definição, o estudante ainda precisará encarar os desafios de passar no vestibular, selecionar a melhor faculdade, optar por uma modalidade de ensino e etc.

Assim sendo, para te ajudar a solucionar, no mínimo, uma destas questões, nós preparamos este guia para saber como escolher o curso de graduação, então, leia este artigo, tire dúvidas e reflita melhor sobre essa escolha!

O que é empregabilidade?

Empregabilidade é o potencial de uma pessoa ou grupo para obter novas propostas de trabalho e permanecer empregado. Quando alguém consegue trabalhar por um longo período e recolocar com facilidade no mercado, dizemos que há uma alta empregabilidade para aquela pessoa. 

Como a empregabilidade é afetada pelo ensino superior?

Também é possível analisar a empregabilidade de grupos de pessoas. Num contexto mais amplo, a empregabilidade se relaciona às condições sociais e políticas em que os sujeitos estão inseridos.

A geração e a manutenção de empregos são fortemente afetadas por instabilidade e crise. Em nosso país essa é uma forte característica do mercado de trabalho. 

Diversas pesquisas indicam que quem tem curso superior tem maior empregabilidade do que as pessoas que chegaram apenas ao ensino médio. Para quem está cursando ou já concluiu uma faculdade, se manter ou ingressar no mercado de trabalho é muito mais fácil. 

As empresas tiram vantagem do momento de crise e escassez de vagas para aumentar as exigências. Com isso o curso superior passa a ser um critério de desempate ou até mesmo um requisito essencial para certos cargos.

O que considerar para escolher um curso de graduação?

Ao pensar em como escolher o curso de graduação, é importante lembrar que a decisão envolve uma série de fatores, como:

  • qual será o curso;
  • quais faculdades oferecem o curso desejado;
  • preferências pessoais;
  • como será a vida durante a graduação;
  • qualidade do ensino oferecido;
  • credibilidade da instituição;
  • modalidades de ensino;
  • mercado de trabalho para o setor.

Cada um desses requisitos deve ser avaliado de perto, pois toda escolha implica em consequências para os próximos anos do estudante. Parece complicado, mas buscando as informações corretas, tudo fica mais simples! Detalharemos a seguir o que é mais importante nesse processo!

Invista em autoconhecimento

Por incrível que pareça, investir em autoconhecimento é importante até mesmo para saber como escolher o curso de graduação. Aproveite a fase do pré-vestibular para explorar suas características, gostos e interesses. Não se restrinja ao que você já conhece, vá além!

Uma boa forma de saber se você se daria bem com uma profissão é se imaginar trabalhando nela. Se você investir em um curso que exige muitas atividades com as quais você tem dificuldade ou que causam tédio, as chances de não conseguir concluir o curso são maiores.

Gosta de língua portuguesa, adora ler muito e se diverte com pesquisas? Direito, filosofia, letras, sociologia e outras ciências humanas são boas áreas para investigar.

Seu negócio é entender como tudo funciona? Gosta de tecnologia, cálculos, ciências? As exatas oferecem um grande leque de opções, que vão desde a física, engenharia até as ciências da computação!

Comece a pensar nas matérias favoritas do ensino médio. O que elas dizem sobre você? Quais são as experiências mais agradáveis? Quais trabalhos em que você se dedicou e nem viu o tempo passar?

Um ponto muito importante a considerar é que não há nenhuma necessidade de entrar “pronto” para que dê certo. A maioria das habilidades podem ser desenvolvidas com o treinamento adequado, mas, para isso, é importante que exista alguma afinidade para aguentar os anos de estudos e preparação.

Busque orientação vocacional

Quem não tem muitos familiares e amigos com curso superior, conhece poucas áreas ou mora em locais mais afastados, encontrará dificuldades para se informar. Mesmo com a internet e as inúmeras possibilidades que ela traz para pesquisas, é interessante considerar uma orientação vocacional.

Os especialistas em orientação vocacional trabalham junto com o estudante para apresentar as diversas possibilidades. As opções são apresentadas de acordo com as afinidades e interesses do aluno, mas também geram novas ideias e perspectivas. Quem sabe aquele curso bem desconhecido, com pouca gente na área, não é tudo que você sempre sonhou?

Conheça mais sobre os cursos

As opções de cursos superiores são cada vez mais variadas. Por isso, é muito importante conhecer o que existe por aí antes de decidir sobre qual será sua graduação.

Há uma série de materiais e guias espalhados pela internet e também nos sites das universidades. Outro ponto importante é que nem sempre a presença física do aluno é essencial. Já existem diversos cursos que utilizam a tecnologia educacional para oferecer educação superior à distância com boa qualidade, inclusive nas faculdades públicas! 

Explore as opções e possibilidades diversas, pensando em sua situação atual, limitações e desejos. Sempre haverá uma alternativa e quanto mais cursos e faculdades você conhecer, menor será a sensação de que o que você está buscando é inalcançável.

Acredita que vai gostar de um curso específico? Olhe para a grade curricular! Lá estarão as matérias e atividades programadas para o curso. O que será exigido, como serão conduzidos os estudos e quais são as perspectivas do curso para aulas teóricas e práticas.

Procure quem trabalha na área

Como será a rotina de um veterinário? Que tal perguntar para um? A maioria dos profissionais ficará contente em ajudar!

Procure alguém que trabalha na área, até mesmo pelas redes sociais, e veja se há espaço para fazer algumas perguntas e tirar dúvidas. Alguém que atua no setor poderá dar dicas, indicar as melhores faculdades e também fornecer uma visão realista sobre a profissão

Converse com quem mudou de ideia

Uma forma legal de ir além na pesquisa é procurar alguém que desistiu de um curso ou profissão que você quer. Essa pessoa saberá dizer questões muito importantes sobre o que o curso ou carreira não oferecem, qual o perfil dos colegas que seguiram na área e o que fez com que ela mudasse de ideia.

Hoje em dia mudar de carreira e fazer outros cursos depois de formado não é mais algo que as pessoas escondem. Procure relatos nas redes sociais, troque ideias com quem você conhece ou com pessoas na internet. Explore o máximo de possibilidades antes de decidir qual curso fazer.

Faça uma visita às faculdades

Sempre que possível, é interessante visitar pessoalmente as faculdades nas quais se pretende estudar. Mesmo que seja necessário viajar esse passo é importante. 

Lembre-se de que os próximos anos da sua vida envolverão comparecer naquele local, usar sua estrutura física ou virtual e interagir com o entorno. É muito importante evitar surpresas que possam dificultar o processo de adaptação à vida universitária.

Avalie o mercado de trabalho

Depois da graduação, qual o caminho dos formados no curso que você quer? Viram empreendedores? Funcionários públicos? Trabalham no setor privado? Em ONGS?

Explore possibilidades, vagas, salários e localidades que contratam na profissão escolhida. Com isso será possível criar uma ideia geral de como funciona o mercado de trabalho, quais habilidades podem ajudar a ir mais longe e se a forma de trabalho é interessante para você. 

Considere o que ainda não existe

Sabia que muita gente vai trabalhar em profissões que ainda não existem? A verdade é que o mundo muda cada vez mais rápido e quem se forma hoje pode trabalhar em algo que nem mesmo existia na época da graduação.

Isso não quer dizer que a faculdade é dispensável, nem que o curso feito agora será totalmente descartado. As formas de trabalhar e profissões vão mudar, mas as habilidades aprendidas durante o curso ficarão com você para a vida toda. Por isso mesmo, é importante pensar não só no curso, mas nas áreas de interesse e também novas possibilidades de trabalho.

Quais são os erros comuns no processo de escolha do curso de graduação?

Além de contar o que fazer, também vamos deixar dicas de como não escolher o curso de graduação. Saber o que não fazer também é importante, especialmente quando falamos de questões que aparecem sempre que alguém explica os motivos pelos quais se arrependeu da escolha do curso de graduação.

Pensar apenas no dinheiro e no salário

Remuneração é algo que muda de acordo com a qualidade do profissional, experiência, habilidades e ética profissional. Não é porque alguém tem uma profissão e ganha bem que todos vão ganhar

Quem não gosta do que faz tem grandes chances de não conseguir uma boa performance. Como consequência, não conseguirá a tão almejada remuneração ou até mesmo se arrependerá mesmo com dinheiro no bolso. Dinheiro é importante, mas não é a única coisa que importa.

Acreditar que faculdade é só curtição

Na graduação você fará amigos, terá vida social e provavelmente muitas festas. Mas não é só isso. Você está ali para se relacionar? Claro que sim! Mas não esqueça do trabalho duro e dos estudos.

Quem vai em todas as festas, deixa de ir às aulas para ficar com os amigos e vai se divertir, não estuda. Então, a vida não é só diversão, e equilíbrio é essencial nessa hora. Se sua faculdade tiver boas festas, é um bônus, mas não use isso para escolher onde estudar.

Não ter nenhuma ideia do que fazer depois da formatura

Qual sua ideia geral da vida após a graduação? Quer um emprego? Ir para o exterior? Prestar um concurso?

Os planos não são imutáveis, mas ajudam bastante a testar a utilidade prática do curso. Gostar das matérias é muito importante, mas saber como os aprendizados serão aplicados no futuro também é uma boa ideia.

Quais as consequências de escolher o curso errado?

Quem escolhe o curso errado acaba se colocando na difícil situação de mudar de curso ou até mesmo se frustrar por longos anos antes de decidir mudar de rumo. Pensando nas experiências mais comuns de quem se arrepende, temos:

  • cansaço e frustração cotidianos por não ver propósito para os estudos;
  • desmotivação diante dos desafios normais da vida universitária;
  • perda da capacidade de aprender sem grandes esforços;
  • problemas com falta de profissionalismo causados pelos problemas emocionais.

Quem escolhe o curso errado sempre pode começar de novo, mas é mais difícil. Por isso, pensar com cuidado na fase preparatória é uma estratégia para reduzir os males causados por uma escolha inadequada de curso.

Como se preparar para o ingresso na graduação?

Não importa qual é a conclusão sobre o curso e faculdade, será necessário passar no processo seletivo, não é mesmo? Até nas opções particulares, uma boa nota nos vestibulares ou no ENEM garantem vantagens como bolsas, descontos e benefícios. Por isso a dedicação para os estudos deve ser feita o quanto antes.

Selecione as exigências das faculdades desejadas

O estudo inicial voltado para o ENEM e competências gerais do ensino médio dão conta de grande parte do que é exigido nas faculdades em geral. Ainda assim, tão logo você decida por um curso ou por faculdades específicas, inclua os itens específicos do processo seletivo desejado em seu cronograma de estudos.

Quanto mais focado o estudo, maior a chance de conquistar pontos adicionais. Quem estuda de maneira genérica e pouco estruturada não se familiariza com as boas práticas de cada exame e perde a oportunidade de responder às questões e produzir textos perfeitos para os objetivos do examinador

Quando falamos de preparação para o ENEM e vestibulares, qualquer ponto é uma vitória. A competitividade é grande e a melhor forma de se destacar e conseguir a aprovação é buscar uma performance excelente!

Não esqueça do poder da redação

Em todos os processos seletivos a dissertação é um elemento fundamental. Saber escrever bem e apresentar argumentos coerentes é importante para a apresentação de ideias e conteúdos estudados, garantindo que o examinador entenda exatamente o que você quis expressar.

Saber escrever bem é bom para a prova de redação e também para as fases com questões dissertativas. Por isso, estudar e aprimorar sua escrita para o ENEM e vestibulares é um investimento certeiro, independentemente de qual curso for escolhido!

A nota da redação costuma ter um peso importantíssimo para o ranking dos candidatos. Em muitos casos, ela também é critério de exclusão e desempate. Diferente das outras disciplinas, a redação exige prática. 

Não basta pesquisar, ler e fazer resumos sobre como uma redação deve ser: é preciso praticar muito! A melhor forma de direcionar o estudo para aprimorar a escrita é contar com a correção dos textos produzidos. Importante lembrar que a correção deve ser feita levando em conta os critérios das provas de seleção das faculdades. Nem sempre um bom texto será uma boa redação.

Para os alunos que sentem que as habilidades de dissertação precisam de aprimoramento, existem muitas opções disponíveis, até mesmo para correção online dos textos. Assim, não há necessidade de contar com a boa vontade e a presença física de um professor. Com a correção online, é possível produzir mais textos, que serão corrigidos por especialistas, auxiliando na evolução do estudante durante o processo de preparação para o ENEM e vestibulares.

Aprender como escolher o curso de graduação é uma etapa importante no processo de transição para a vida universitária. Como tudo é novidade, nada mais justo do que ter bases para decidir sobre o que é realmente importante, certo? Além de pensar no futuro, é importante se preparar para ele, estudando para o ENEM e para os vestibulares antes mesmo de decidir por um curso em especial.

E aí, já escolheu qual curso vai fazer? Está em dúvida? Já trocou ou pretende trocar de faculdade? Deixe um comentário abaixo e divida suas experiências com todos!

Posts relacionados

Deixe um comentário