Redação Nota 1000
-->
Postado: 5 de setembro de 2018|Nenhum Comentário

A direção escolar pode contribuir com o trabalho dos professores de várias formas, descubra mais sobre elas no texto abaixo:

 

A rotina do diretor escolar não é fácil. Entre suas diversas responsabilidades diárias, está o contato com coordenadores e professores para extração de dados acadêmicos, observação do desempenho escolar dos alunos, elaboração de relatórios, alinhamentos, e assim por diante. O que, se não for feito com um certo cuidado, pode causar ruído na comunicação e complicar toda a sua dinâmica.

Assim, o papel do diretor na escola é, antes de mais nada, exercer liderança. Nesse contexto se destaca a necessidade de coordenar mais assertivamente os professores, que são um dos elos mais frágeis e significativos da instituição, por ser o vínculo com os alunos e também os pais.

Um bom gestor sabe que manter um bom relacionamento com a equipe docente pode não só otimizar suas ações rotineiras mas também tornar o ambiente escolar muito mais produtivo para todos, principalmente para os alunos.

Mas, em cenário tão dinâmico como o escolar, nem sempre dá tempo de dar atenção especial a todos. Surge então a questão: como a direção pode melhorar o trabalho dos professores sem prejudicar sua própria rotina?

Para te ajudar, separamos algumas atitudes simples para resolver essa questão.

Comunique-se melhor utilizando uma metodologia de liderança mais assertiva 

 

A aplicação da técnica de liderança situacional é uma das mais recomendadas no mundo para gestores que queiram/precisam se reciclar, ou que estejam em desenvolvimento no ambiente de trabalho, por ser muito assertiva e dinâmica.

Desenvolvida nos anos 70 pelos professores americanos, Paul Hersey e Kenneth Blanchard, o método é baseado em desenvolver o liderado de acordo com sua maturidade.

A maturidade em questão não está relacionada à idade cronológica do professor, mas sim ao nível de conhecimento e desenvoltura que ele possui sobre a atividade que exerce.

Desse modo, um professor mais jovem, por exemplo, pode ter domínio maior sobre determinadas tarefas, como, trabalhar com recursos tecnológicos em sala de aula, utilizar a lousa digital, postar conteúdos na área do aluno, entre outras, enquanto um professor mais velho, com mais idade, pode ter baixa maturidade com relação a isso, embora tenha grande conhecimento acadêmico para  lidar com os alunos.

Assim, o gestor escolar deverá adaptar-se para atender cada um de sua equipe de maneira personalizada..

A potencialização dos melhores resultados dos colaboradores vai depender muito do estilo de liderança do gestor. Entre eles, podemos destacar quatro estilos principais:

  • Direcionador: o gestor dá exemplos e direciona sobre como e porque precisa dos dados, mostrando modelos para associação.
  • Orientador: O gestor orientador adota um comportamento de oferecer mais apoio ao liderado, ou seja, além de mostrar o modelo ele o ajuda a preencher/desenvolver, etc.
  • Apoiador: O gestor desenvolve um comportamento de direcionar menos e incentivar mais, para que o liderado se sinta estimulado a procurar informações e compartilhar com todos.
  • Delegador: Esse é o modelo em que o gestor apenas delega a tarefa e espera que o liderado a execute com maestria.

Naturalmente, quando se assume um cargo de gestão, cada líder tem uma tendência natural a assumir um estilo próprio. No entanto, para colher bons resultados, é preciso ser flexivel para ajustar seu estilo não apenas em função de cada membro da equipe, mas também para as situação e condições que se apresentam a cada momento da carreira.

Promova a valorização do corpo docente 

Um professor motivado é capaz de tornar o processo de ensino mais efetivo na sua instituição estimulando os alunos a progredirem. Isso reflete diretamentena melhora do engajamento e dos resultados deles e, consequentemente, na maior satisfação dos pais.

Essa reação em cadeia é algo que só acontece quando os professores se sentem confortáveis com o que a escola oferece de suporte. Desse modo, é fundamental investir em:

  • Salários compatíveis com o mercado;
  • Plano de carreira;
  • Boas condições de aula (salas, estrutura e materiais)

Mas, ao mesmo tempo, é fundamental prover assistência pedagógica diferenciada e outros recursos didáticos para que o professor possa, efetivamente, ocupar seu lugar de protagonismo no processo de ensino.

Participe da resolução de problemas ?

Assim como os diretores, o corpo docente da escola também está sobrecarregado de demandas nos dias de hoje.

Para que a rotina de todos seja mais produtiva, os professores também precisam da ajuda da direção para facilitar e dar as prioridades ao trabalho pedagógico, especialmente nas questões que fogem da alçada dos coordenadores.

Como diretor, você também pode contribuir para a resolução dos problemas pedagógicos, oferecendo mais ferramentas de trabalho que facilitem a rotina dos docentes e coordenadores

Atualmente, há vários recursos tecnológicos de apoio escolar bastante eficientes, tanto para os professores quanto para gestores escolares.

Com as novas tecnologias educacionais é possível, por exemplo, extrair relatórios mais aprofundados sobre o desempenho dos alunos e também dos docentes, a partir de objetivos estabelecidos, permitindo uma visão mais ampla sobre quais pontos de melhoria são mais urgentes de serem trabalhados.

Entre as ferramentas de avaliação, um importante recurso é a plataforma de correção de redações, que reduz o trabalho extra que o professor teria e confere grande agilidade e independência ao processo de produção textual.

Com isso, professores e coordenadores ganham tempo para atendimentos muito melhores e para ações pedagógicas personalizadas junto aos alunos.

O ganho em agilidade também é evidente: as devolutivas das redações passam de, em média, algumas semanas, para alguns dias. Os alunos podem inclusive trabalhar com a reescrita de seus textos, se isso for interessante para o professor, com o texto ainda “fresco” na cabeça.

Para os gestores, a plataforma de correção de redações oferece uma visão mais ampla da evolução de alunos, turmas e da escola como um todo, e de quais competências de quais competências e critérios devem ser trabalhados com mais urgência para se alcançar melhores resultados no ENEM e em outros vestibulares.

Assim, professores, coordenadores pedagógicos e diretores podem trabalhar conjuntamente no desenvolvimento da escrita dos alunos, todos com a mesma visão e a mesma perspectiva de melhoria, cada uma atuando dentro de sua área. Quem ganha no final não é apenas a escola, claro. Alunos e pais certamente ficarão satisfeitos com o arrojo e com os resultados alcançados.

 

Saiba mais sobre essa poderosa ferramenta. Clique aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *